terça-feira, 24 de abril de 2012

O Alcoolismo e o local de trabalho!


Todos nós sabemos que estas duas coisas não combinam, certo é que a cada vez mais pessoas a faze-lo.
Na nossa pacata vila temos um grande exemplo disso (é funcionário publico e trabalha com imensa gente), Normalmente os alcoólicos têm dificuldades em cumprir os seus deveres profissionais é o que se passa com este individuo. Ao contrário do que muitas pessoas pensam o alcoolismo tem tratamento, só que para ser tratado é preciso que o “alcoólico” em questão queira deixar de o ser. O tratamento do alcoolismo é complexo e depende do estado do paciente e de seu engajamento no processo de cura.

Este texto não é para apontar o dedo a ninguém, simplesmente para alertar as pessoas que o álcool vai matando aos poucos, muda completamente uma pessoa e faz essa mesma pessoa fazer coisas que mais tarde se irá arrepender. 


34 comentários:

  1. vai fazer uma manifestação na porta do pavilhão!

    ResponderExcluir
  2. morreu descontravontade

    ResponderExcluir
  3. e se eu escrever qualquer coisa assim muito xxx xxx xxx ?
    olá, tá aí alguém?

    ResponderExcluir
  4. As armas e os barões assinalados,
    Que da ocidental praia Lusitana,
    Por mares nunca de antes navegados,
    Passaram ainda além da Taprobana,
    Em perigos e guerras esforçados,
    Mais do que prometia a força humana,
    E entre gente remota edificaram
    Novo Reino, que tanto sublimaram;

    ResponderExcluir
  5. E também as memórias gloriosas
    Daqueles Reis, que foram dilatando
    A Fé, o Império, e as terras viciosas
    De África e de Ásia andaram devastando;
    E aqueles, que por obras valerosas
    Se vão da lei da morte libertando;
    Cantando espalharei por toda parte,
    Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

    3

    Cessem do sábio Grego e do Troiano
    As navegações grandes que fizeram;
    Cale-se de Alexandro e de Trajano
    A fama das vitórias que tiveram;
    Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
    A quem Neptuno e Marte obedeceram:
    Cesse tudo o que a Musa antígua canta,
    Que outro valor mais alto se alevanta.

    4

    E vós, Tágides minhas, pois criado
    Tendes em mim um novo engenho ardente,
    Se sempre em verso humilde celebrado
    Foi de mim vosso rio alegremente,
    Dai-me agora um som alto e sublimado,
    Um estilo grandíloquo e corrente,
    Porque de vossas águas, Febo ordene
    Que não tenham inveja às de Hipoerene.

    5

    Dai-me uma fúria grande e sonorosa,
    E não de agreste avena ou frauta ruda,
    Mas de tuba canora e belicosa,
    Que o peito acende e a cor ao gesto muda;
    Dai-me igual canto aos feitos da famosa
    Gente vossa, que a Marte tanto ajuda;
    Que se espalhe e se cante no universo,
    Se tão sublime preço cabe em verso.

    6

    E vós, ó bem nascida segurança
    Da Lusitana antígua liberdade,
    E não menos certíssima esperança
    De aumento da pequena Cristandade;
    Vós, ó novo temor da Maura lança,
    Maravilha fatal da nossa idade,
    Dada ao mundo por Deus, que todo o mande,
    Para do mundo a Deus dar parte grande;

    7

    Vós, tenro e novo ramo florescente
    De uma árvore de Cristo mais amada
    Que nenhuma nascida no Ocidente,
    Cesárea ou Cristianíssima chamada;
    (Vede-o no vosso escudo, que presente
    Vos amostra a vitória já passada,
    Na qual vos deu por armas, e deixou
    As que Ele para si na Cruz tomou)

    ResponderExcluir
  6. Vós, poderoso Rei, cujo alto Império
    O Sol, logo em nascendo, vê primeiro;
    Vê-o também no meio do Hemisfério,
    E quando desce o deixa derradeiro;
    Vós, que esperamos jugo e vitupério
    Do torpe Ismaelita cavaleiro,
    Do Turco oriental, e do Gentio,
    Que inda bebe o licor do santo rio;

    9

    Inclinai por um pouco a majestade,
    Que nesse tenro gesto vos contemplo,
    Que já se mostra qual na inteira idade,
    Quando subindo ireis ao eterno templo;
    Os olhos da real benignidade
    Ponde no chão: vereis um novo exemplo
    De amor dos pátrios feitos valerosos,
    Em versos divulgado numerosos.

    10

    Vereis amor da pátria, não movido
    De prémio vil, mas alto e quase eterno:
    Que não é prémio vil ser conhecido
    Por um pregão do ninho meu paterno.
    Ouvi: vereis o nome engrandecido
    Daqueles de quem sois senhor superno,
    E julgareis qual é mais excelente,
    Se ser do mundo Rei, se de til gente.

    11

    Ouvi, que não vereis com vãs façanhas,
    Fantásticas, fingidas, mentirosas,
    Louvar os vossos, como nas estranhas
    Musas, de engrandecer-se desejosas:
    As verdadeiras vossas são tamanhas,
    Que excedem as sonhadas, fabulosas;
    Que excedem Rodamonte, e o vão Rugeiro,
    E Orlando, inda que fora verdadeiro,

    12

    Por estes vos darei um Nuno fero,
    Que fez ao Rei o ao Reino tal serviço,
    Um Egas, e um D. Fuas, que de Homero
    A cítara para eles só cobiço.
    Pois pelos doze Pares dar-vos quero
    Os doze de Inglaterra, e o seu Magriço;
    Dou-vos também aquele ilustre Gama,
    Que para si de Eneias toma a fama.

    13

    Pois se a troco de Carlos, Rei de França,
    Ou de César, quereis igual memória,
    Vede o primeiro Afonso, cuja lança
    Escura faz qualquer estranha glória;
    E aquele que a seu Reino a segurança
    Deixou com a grande e próspera vitória;
    Outro Joane, invicto cavaleiro,
    O quarto e quinto Afonsos, e o terceiro.

    14

    Nem deixarão meus versos esquecidos
    Aqueles que nos Reinos lá da Aurora
    Fizeram, só por armas tão subidos,
    Vossa bandeira sempre vencedora:
    Um Pacheco fortíssimo, e os temidos
    Almeidas, por quem sempre o Tejo chora;
    Albuquerque terríbil, Castro forte,
    E outros em quem poder não teve a morte.

    15

    E enquanto eu estes canto, e a vós não posso,
    Sublime Rei, que não me atrevo a tanto,
    Tomai as rédeas vós do Reino vosso:
    Dareis matéria a nunca ouvido canto.
    Comecem a sentir o peso grosso
    (Que pelo mundo todo faça espanto)
    De exércitos e feitos singulares,
    De África as terras, e do Oriente os marços,

    ResponderExcluir
  7. La quando em mim perder a humanidade
    Mais um daquelles, que não fazem falta,
    Verbi-gratia — o theologo, o peralta,
    Algum duque, ou marquez, ou conde, ou frade:

    Não quero funeral communidade,
    Que engrole "sub-venites" em voz alta;
    Pingados gattarrões, gente de malta,
    Eu tambem vos dispenso a caridade:

    Mas quando ferrugenta enxada edosa
    Sepulchro me cavar em ermo outeiro,
    Lavre-me este epitaphio mão piedosa:

    "Aqui dorme Bocage, o putanheiro;
    Passou vida folgada, e milagrosa;
    Comeu, bebeu, fodeu sem ter dinheiro".

    ResponderExcluir
  8. 50 Reasons I Reject Evolution
    by Bobbie Jean Pentecost

    1.) Because I don’t like the idea that we came from apes… despite that humans are categorically defined and classified as apes.

    2.) Because I’m too stupid and/or lazy to open a fucking book or turn on the Discovery Science Channel.

    3.) Because if I can’t immediately understand how something works, then it must be bullshit.

    4.) Because I don’t care that literally 99.9% of all biologists accept evolution as the unifying theory of biology.

    5.) Because I prefer the idea that a (insert god of choice) went ALLA-KADABRA-ZAM MOTHAH-FUCKAHS!!!

    6.) Because I can’t get it through my thick logic-proof skull that evolution refers ONLY to the process of speciation, not to abiogenesis, or planet formation, or big bang cosmology, or whether God exists, or where they buried Jimmy Hoffa, or why the sky is blue, or how many licks it takes to get to the center of a fucking Tootsie Pop.

    7.) Because the fossil record doesn’t comprise the remains of every single living thing that ever existed on this 4.5 billion year old planet, even though fossilization is a rare process that only occurs under very specific circumstances.

    8.) Because science has yet to produce any transitional species… except for the magnitudinous numbers of them found in the fossil record which don’t count because… I uh, OOH LOOK! A SHINY OBJECT!!! *runs away*

    9.) Because I know nothing about Darwin except that he had a funny beard.

    10.) Because the theory of evolution (which, according to scientists, perfectly explains the richness and diversity of life on Earth) contradicts biblical literalism… ya know, flat Earth with a firmament that keeps out the water, talking snakes, people rising from the dead, bats are birds, flamey talking bushes, virgin births, food appearing out of nowhere, massive bodies of water turning into blood… etc etc.

    11.) Because I think the word “theory” actually means: “random stabs in the dark” when it really means: "an explanation of certain phenomena that is well-supported by a large body of facts and often unifies other similarly well-supported hypotheses" i.e. atomic theory, gravitational theory, germ theory, cell theory, some-people-are-dumb-motherfuckers-theory, etc.

    12.) Because the fact that science is self-correcting annoys me. Most of my other beliefs are rigidly fixed and uncorrectable.

    13.) Because I am under the severely mistaken impression that evolution implies someone in my very recent ancestry was a chimp.

    14.) Because everything appears designed to my mind which was expertly tuned by nature to perceive design, probably as a survival mechanism.

    15.) Because some secretly fabulous closet-dwelling televangelist (who unironically preaches hate towards gays) told me that evolution is Satan’s way of leading me away from God.

    16.) Because that same guy (who was also caught snorting blow off a male hooker’s shiny naked ass) told me that God planted those fossils to test my faith.

    17.) Because I’m 100% correct about everything 100% of the time and there is 0% chance that some snooty Oxford educated scientist with numerous honorary doctorates could possibly know something that I don’t.

    18.) Because I don’t know that fossils are found in sedimentary strata corresponding to their age as one would expect if evolution were true.

    19.) Because I don’t understand why, if we share common ancestry with chimps, there are still chimps. And when someone with more than three brain cells in their head inevitably replies: “for the same reason Americans share common ancestry with Brits but there are still Brits, I can’t follow the logic. It’s just too big a leap. Who am I, Evil Knievel?

    20.) Because my mom dropped me on my head when I was a baby.

    21.) Multiple times.
    .........................................
    fucking win. Take that you EVILutionists!

    ResponderExcluir
  9. Sátira Besta e mais besta! O positivo é nada...
    (Perdoa, se em gramática te falo,
    Arte que ignoras, como ignoras tudo.)
    Besta e mais besta! Na palavra embirro;
    Que a besta anexa ao mais teu ser define.

    Dás-me louvor servil na voz do prelo,
    Grande me crês, proclamas-me famoso,
    Excelso, transcendente, incomparável,
    Confessas que d'Elmano a fúria temes...
    E, débil estorninho, águias provocas,
    Aves de Jove, que o corisco empunham!

    És de rábula vil corrupta imagem;
    Tu vendes o louvor, como ele as partes,
    Mas ele na enxovia infâmias paga,
    E tu, com tústios, que aos caloiros pilhas,
    Compras gravatas, em que a tromba enorme
    Sumas ao dia, que de a ver se embrusca,
    Qual em tenra mãozinha esconde a face
    Mimoso infante de papões vexado.
    Útil descuido aos cárceres te furta,
    À digna habitação de ti saudosa
    (Digo, o Castelo), estância equivalente
    Aos méritos morais, que em ti reluzem.

    De saloios vinténs larápio sujo,
    A glória do teu ódio restitui
    A quem no teu louvor desacreditas.
    Se honrada pelos sábios d'Ulisseia
    (D'Ulisseia não só, de Lísia toda)
    Galgando a Musa minha aos céus não fosse,
    E se a nojenta epístola brotasse
    Dentre o lameiro das ideias tuas,
    Em regras, que são mais ou que são menos
    Do que exigem do metro as leis d'Apolo
    (Em regrinhas aquém e além do metro,
    Que versos hão-de ser, ou versos foram,
    Quando o que a Musa quer é só que o sejam),
    Dissera a gente, gritaria o mundo:
    «Louvado e louvador são dois patetas!»

    Ó versos aleijões! De Insauro ó versos!
    Prosa de toda a gente e versos dele!
    Fora! Eu me benzo, eu renuncio o pacto!
    Antes um corno pelos peitos dentro,
    Que um verso de Saunier pelos ouvidos,
    Bem que, indagados de atenção miúda,
    Sinónimos parecem corno e verso,
    Quando em linhas venais galegos tentas,
    Teus sócios, teus colegas, teus patronos;
    Ou quando sensabor, ou quando insano
    Louvas de graça e por dinheiro infamas
    (Que a resposta, eu bem sei, rendeu-te cobres).

    Falas em faixa? E com que faixa, e como!
    Não sabes que, apesar da atroz gravata,
    Sai teu focinho a malquistar-te às vezes
    Com quantos olhos há, que todos negam
    Seres da espécie racional primeira,
    E a negra forma macacal te impinge?
    Quindorna tens, que por amor te engoma.
    Tanto sofreis, ó Cotovia, ó Taipas!

    Jamais se envileceu luxúria tanto,
    E tanto na eleição jamais cincaste!
    Só se vós por ser burro amais Insauro!
    Esses podres c..., que vendem peste,
    Esses, meu nome, teu trovão, teu raio,
    Esses, em súcia torpe, aonde és gente,
    Meu nome, a glória minha enxovalharam;
    Que mulher de decoro, esposa virgem,
    Se manchasse em te ouvir seu grau, su'alma,
    O caos volvera e se abismara o globo.

    Espoja-te a meus pés, baqueia, ó bruto,
    E em actos burricais o que és pregoa!
    Ou da matula vil, onde patinhas,
    Irás à Fama em sátiras d'Elmano,
    Que é pior para ti do que ir ao Letes!


    Bocage, in 'A António Crispiniano Saunier (Em resposta a uma epístola que lhe dirigira)'

    ResponderExcluir
  10. Os Lusíadas - Canto II


    1

    Já neste tempo o lúcido Planeta,
    Que as horas vai do dia distinguindo,
    Chegava à desejada e lenta meta,
    A luz celeste às gentes encobrindo,
    E da casa marítima secreta
    Lhe estava o Deus Noturno a porta abrindo,
    Quando as infidas gentes se chegaram
    As naus, que pouco havia que ancoraram.

    2

    Dentre eles um, que traz encomendado
    O mortífero engano, assim dizia:
    "Capitão valeroso, que cortado
    Tens de Neptuno o reino e salsa via,
    O Rei que manda esta ilha, alvoroçado
    Da vinda tua, tem tanta alegria,
    Que não deseja mais que agasalhar-te,
    Ver-te, e do necessário reformar-te.

    3

    "E porque está em extremo desejoso
    De te ver, como cousa nomeada,
    Te roga que, de nada receoso,
    Entres a barra, tu com toda armada:
    E porque do caminho trabalhoso
    Trarás a gente débil e cansada,
    Diz que na terra podes reformá-la,
    Que a natureza obriga a desejá-la.

    4

    "E se buscando vás mercadoria
    Que produze o aurífero Levante,
    Canela, cravo, ardente especiaria,
    Ou droga salutífera e prestante;
    Ou se queres luzente pedraria,
    O rubi fino, o rígido diamante,
    Daqui levarás tudo tão sobejo
    Com que faças o fim a teu desejo."

    5

    Ao mensageiro o Capitão responde
    As palavras do Rei agradecendo:
    E diz que, porque o Sol no mar se esconde,
    Não entra para dentro, obedecendo;
    Porém que, como a luz mostrar por onde
    Vá sem perigo a frota, não temendo,
    Cumprirá sem receio seu mandado,
    Que a mais por tal senhor está obrigado.

    6

    Pergunta-lhe depois, se estão na terra
    Cristãos, como o piloto lhe dizia;
    O mensageiro astuto, que não erra,
    Lhe diz, que a mais da gente em Cristo cria.
    Desta sorte do peito lhe desterra
    Toda a suspeita e cauta fantasia;
    Por onde o Capitão seguramente
    Se fia da infiel e falsa gente.

    7

    E de alguns que trazia condenados
    Por culpas e por feitos vergonhosos,
    Por que pudessem ser aventurados
    Em casos desta sorte duvidosos,
    Manda dous mais sagazes, ensaiados,
    Por que notem dos Mouros enganosos
    A cidade e poder, e por que vejam
    Os Cristãos, que só tanto ver desejam.

    8

    E por estes ao Rei presentes manda,
    Por que a boa vontade, que mostrava,
    Tenha firme, segura, limpa e branda;
    A qual bem ao contrário em tudo estava.
    Já a companhia pérfida e nefanda
    Das naus se despedia e o mar cortava:
    Foram com gestos ledos e fingidos,
    Os dous da frota em terra recebidos.

    9

    E depois que ao Rei apresentaram,
    Co'o recado, os presentes que traziam,
    A cidade correram, e notaram
    Muito menos daquilo que queriam;
    Que os Mouros cautelosos se guardaras
    De lhes mostrarem tudo o que pediam:
    Que onde reina a malícia, está o receio,
    Que a faz imaginar no peito alheio.

    10

    Mas aquele que sempre a mocidade
    Tem no rosto perpétua, e foi nascido
    De duas mães, que urdia a falsidade
    Por ver o navegante destruído,
    Estava numa casa da cidade,
    Com rosto humano e hábito fingido,
    Mostrando-se Cristão, e fabricava
    Um altar sumptuoso, que adorava.

    11

    Ali tinha em retrato afigurada
    Do alto e Santo Espírito a pintura:
    A cândida pombinha debuxada
    Sobre a única Fénix, Virgem pura;
    A companhia santa está pintada
    Dos doze, tão torvados na figura,
    Como os que, só das línguas que caíram,
    De fogo, várias línguas referiram.

    12

    Aqui os dous companheiros conduzidos
    Onde com este engano Baco estava,
    Põem em terra os giolhos, e os sentidos
    Naquele Deus que o mundo governava.
    Os cheiros excelentes, produzidos
    Na Pancaia odorífera, queimava
    O Tioneu, e assim por derradeiro
    O falso Deus adora o verdadeiro.

    13

    Aqui foram de noite agasalhados,
    Com todo o bom e honesto tratamento,
    Os dous Cristãos, não vendo que enganados
    Os tinha o falso e santo fingimento.
    Mas assim como os raios espalhados
    Do Sol foram no mundo, e num momento
    Apareceu no rúbido horizonte
    Da moça de Titão a roxa fronte,

    14

    Tornam da terra os Mouros co'o recado
    Do Rei, para que entrassem, e consigo
    Os dous que o Capitão tinha mandado,
    A quem se o Rei mostrou sincero amigo;
    E sendo o Português certificado
    De não haver receio de perigo,
    E que gente de Cristo em terra havia,
    Dentro no salso rio entrar queria.


    ResponderExcluir


  11. DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS
    Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III)
    da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948

    Preâmbulo

    Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo,
    Considerando que o desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade foi proclamado como a mais alta aspiração do homem comum,
    Considerando essencial que os direitos humanos sejam protegidos pelo Estado de Direito, para que o homem não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra tirania e a opressão,
    Considerando essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,
    Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta, sua fé nos direitos humanos fundamentais, na dignidade e no valor da pessoa humana e na igualdade de direitos dos homens e das mulheres, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla,
    Considerando que os Estados-Membros se comprometeram a desenvolver, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos humanos e liberdades fundamentais e a observância desses direitos e liberdades,
    Considerando que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mis alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso,

    A Assembléia Geral proclama

    A presente Declaração Universal dos Diretos Humanos como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universais e efetivos, tanto entre os povos dos próprios Estados-Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.

    Artigo I

    Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade.

    Artigo II

    Toda pessoa tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.

    Artigo III

    Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

    Artigo IV

    Ninguém será mantido em escravidão ou servidão, a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.

    ResponderExcluir
  12. Artigo VII

    Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.

    Artigo VIII

    Toda pessoa tem direito a receber dos tributos nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.

    Artigo IX

    Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

    Artigo X

    Toda pessoa tem direito, em plena igualdade, a uma audiência justa e pública por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir de seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.

    Artigo XI

    1. Toda pessoa acusada de um ato delituoso tem o direito de ser presumida inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa.
    2. Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituíam delito perante o direito nacional ou internacional. Tampouco será imposta pena mais forte do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

    Artigo XII

    Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataques à sua honra e reputação. Toda pessoa tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

    Artigo XIII

    1. Toda pessoa tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado.
    2. Toda pessoa tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar.

    Artigo XIV

    1.Toda pessoa, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países.
    2. Este direito não pode ser invocado em caso de perseguição legitimamente motivada por crimes de direito comum ou por atos contrários aos propósitos e princípios das Nações Unidas.

    Artigo XV

    1. Toda pessoa tem direito a uma nacionalidade.
    2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

    Artigo XVI

    1. Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer retrição de raça, nacionalidade ou religião, têm o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.
    2. O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.

    Artigo XVII

    1. Toda pessoa tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.
    2.Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.

    Artigo XVIII

    Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular.



    ResponderExcluir
  13. Artigo XIX

    Toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.

    Artigo XX

    1. Toda pessoa tem direito à liberdade de reunião e associação pacíficas.
    2. Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.

    Artigo XXI

    1. Toda pessoa tem o direito de tomar parte no governo de seu país, diretamente ou por intermédio de representantes livremente escolhidos.
    2. Toda pessoa tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.
    3. A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.

    Artigo XXII

    Toda pessoa, como membro da sociedade, tem direito à segurança social e à realização, pelo esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indispensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento da sua personalidade.

    Artigo XXIII

    1.Toda pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.
    2. Toda pessoa, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.
    3. Toda pessoa que trabalhe tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social.
    4. Toda pessoa tem direito a organizar sindicatos e neles ingressar para proteção de seus interesses.

    Artigo XXIV

    Toda pessoa tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e férias periódicas remuneradas.

    ResponderExcluir
  14. Artigo XXIV

    Toda pessoa tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e férias periódicas remuneradas.

    Artigo XXV

    1. Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.
    2. A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

    Artigo XXVI

    1. Toda pessoa tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.
    2. A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.
    3. Os pais têm prioridade de direito n escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.

    Artigo XXVII

    1. Toda pessoa tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar do processo científico e de seus benefícios.
    2. Toda pessoa tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica, literária ou artística da qual seja autor.

    Artigo XVIII

    Toda pessoa tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

    Artigo XXIV

    1. Toda pessoa tem deveres para com a comunidade, em que o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível.
    2. No exercício de seus direitos e liberdades, toda pessoa estará sujeita apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer às justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.
    3. Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos propósitos e princípios das Nações Unidas.

    Artigo XXX

    Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de quaisquer dos direitos e liberdades aqui estabelecidos.

    ResponderExcluir
  15. ao nunca mais dizes nada?

    ResponderExcluir
  16. Ou já não se lembra disto ou então tem isto em banho-maria para a peixeirada. Não seria bonito!

    ResponderExcluir
  17. BRUTTI, SPORCHI E CATTIVI...


    Em 23 de setembro de 1976 o grande mestre do cinema Italiano ETTORE SCOLA lançou o seu filme Feios, Porcos e Maus, que retrata a vida de uma família numa favela de Roma nos anos 60 do século passado.

    Sem saber porquê, lembrei-me deste título ao ler alguns comentários em Blogues locais.

    Contínua a impressionar-me a facilidade com que algumas pessoas tentam denegrir a imagem de outros apenas porque têm opiniões políticas diferentes das suas.

    Arrepia a facilidade com que estes vermes tentam difamar e destruir a imagem de pessoas que têm uma vida inteira de trabalho árduo e honesto e que, para além de pensarem em si a na sua família, sempre têm abraçado causas sociais e associativas localmente e têm contribuído para a economia local designadamente com a criação de postos de trabalho e de riqueza.

    Em relação a estes vermes, não lhes conhecemos trabalho válido, não sabemos quem têm ajudado nem a toca onde se escondem. Se calhar nunca fizeram nada de válido e as únicas coisas que precisam é de um computador com ligação à Internet e de uma total ausência de caráter.

    Eles fazem assim porque eles são assim.
    Mudam os seus alvos mas as táticas são as mesmas.

    Espero e acredito que mais cedo ou mais tarde vão ter a “recompensa que merecem”.

    Por mim está claro, são FEIOS, PORCOS E MAUS!

    ResponderExcluir
  18. Anónimo21 Janeiro, 2013 13:50

    Então quem é assalariado, não contribue também para a economia local? Não são esse trabalhadores que consumem os produtos das empresas?
    Também já sofre da empresarite aguda e vem com um tipo de discurso muito próximo do governo.
    Como os tempos mudam.
    Responder
    Estevão Pereira21 Janeiro, 2013 14:26

    Voltei a ler o meu texto e não escrevi isso em lado nenhum.
    A conclusão que tira é mais da sua cabeça do que do meu texto.
    Responder
    Anónimo21 Janeiro, 2013 16:16

    Concordo, com o seu texto Estevão, enquadra-se na plenitude aos blogueres que se escodem no anónimato!
    Isto começa agora a aqueçer, parecem ratazanas a fugirem de toca em toca..., mas então agora que já sabemos o veneno que espalham!
    Por agora ficamos-nos por aqui ainda não é oportuno escrever muito... a seu tempo iremos desvendando algumas farsas! No entanto adianto que por conhecimento proprio a desorientação é mais que muita, ja tinha ouvido comentarar, realmente é como dizem " os homens não se entendem, nem querem atender".
    Até breve...
    Responder
    Anónimo22 Janeiro, 2013 11:14

    estevão o melhor que tens a fazer é mesmo ignorar. à 4 anos atrás a moda da difamação através da blogosfera pegou, mas agora já não pega. já toda a gente os conhece, estão queimadinhos em todas as freguesias. não fizeram nada que se aproveite.fizeram 2 lojas sociais para nós darmos pra lá roupa e tudo o que não quisermos. então que ajuda dá a camara? dão cabazes a quem não tem encargos nenhuns, a pessoas que já não têm casas pa pagar nem filhos pa criar e nós jovens asfixiados em despesas muitso desempregados, com filhos na escolas casas para pagar, carros, etc não nos dão nada e ainda nos aumentam a agua.Fazem obras em casas de reformados que ganham mais que eu e na minha que se chove por todo o lado , eu se quiser que mande lá um pedreiro. vão mas é mandar porcos pá beira.
    Responder
    Anónimo22 Janeiro, 2013 13:24

    É isso mesmo. Aqui em Alcáçovas a camara mudou o telhado da casa dos pais da enfermeira gestrudes. Os pedreiros daqui dizem que esta obra não se faz por menos de 6.000 €. É caso pra dizer É OBRA!! e não é pra todos é só pró pessoal ligado ao ps/movimento unidos pelo concelho de viana do alentejo.

    Devia-se fazer uma petição publica a pedir a demissão deste executivo.
    Responder
    Respostas

    Anónimo25 Janeiro, 2013 11:59

    E em aguiar arranjam casas de pessoas que já lá não habitam. do melhor.
    Responder

    ResponderExcluir
  19. Anónimo22 Janeiro, 2013 14:15

    Temos pena companheiro,mas tens de de gramar com este executivo, por pelo menos mais 4 anos.....
    Responder
    Anónimo23 Janeiro, 2013 12:05

    Camaradas temos de por a máquina da CDU a funcionar, os socialistas já o fizeram com o jantar no sobral mesmo sem apresentar os candidatos "que todos sabemos serão os mesmos" estão a assumir a liderança do processo e noz como aconteceu a 4 anos iremos atraz do que mais os beneficiar para ser discutido na praça publica.
    Este processo autarquico têm de ser liderado pela CDU.
    Responder
    Anónimo25 Janeiro, 2013 08:56

    O Pacheco já começou a difamar o Penetra no seu blog(Barbearia) esquecendo-se que todos conhecemos o Penetra, não vale a pena publicar comentários escritos por ele no Alvitrando fazendo-se passar por municipes de Alvito a dizer mal de João Penetra, que fez um bom trabalho em Alvito mas como é normal a sua ambição é ser presidente na câmara de Viana do Alentejo.
    Em talho de foice tambem poderia colocar no seu blog os comentários que criticam fortemente o Bengalinha muitos deles no seu blog.
    Responder
    Anónimo29 Janeiro, 2013 12:54

    Então a câmara adquiriu o palacio dos Henriques nas Alcáçovas para fazerem uns reboucos e segundo me disseram caiar, mais um menimo para ficar nos braços da Câmara.
    Responder
    Anónimo30 Janeiro, 2013 11:47

    Hoje por curiosidade fui a praça para ver as obras no palácio, segundo me disseram os trabalhadores que lá andam a intervenção que está a ser feita e da autoria do vereador João Pereira e da presidente da junta de freguesia que pelo visto foram enganados já que está a ser feito um projeto de recuperação do palácio do qual a Câmara já pagou mais de 30 mil euros e que está longe de ser concluído, que no caso do projeto seja concluído a obra só avança se o governo a financiar quase na totalidade.
    Resumindo e concluindo a Câmara adquiriu um imóvel que os governos anteriores nunca quiseram recuperar, e que agora vem dizer que só o recuperam se houver financiamento por parte do governo.
    Isto é caso para dizer que mais vale esperar sentado porque esse financiamento nunca vai chegar, ou tem dúvidas disso!
    Responder

    ResponderExcluir
  20. VAMOS DAR A VOLTA A ISTO...

    Espero e desejo uma campanha eleitoral mais "limpa" do que a ultima.
    Espero e desejo que se ponha fim a uma gestão que em nada inovou e obrigou o Concelho a marcar passo durante 4 anos.
    Espero e desejo o sucesso eleitoral da CDU no Concelho de Viana do Alentejo.
    Espero e desejo que o cabeça de lista da CDU reúna em torno de si uma equipa dinâmica e vencedora.
    O Concelho de Viana do Alentejo precisa e merece muito melhor do que aquilo que tem.
    Vamos todos juntar esforços para dar a volta a isto...
    Anónimo18 Fevereiro, 2013 08:48

    Contem comigo, já estamos na frente assumindo a liderança do processo eleitoral.
    Responder
    Anónimo18 Fevereiro, 2013 16:22

    Concordo plenamente com o post, e para aqueles que tentam denegrir a imagem do João Penetra dizendo que fez um mau trabalho em Alvito, enganem-se porque noz falamos com as pessoas do concelho de Alvito, e o que nos dizem é que o Penetra foi um grande presidente que sem maioria absoluta fez um belissimo trabalho.Espero sinceramente que João Penetra ganhe estas eleições autarquicas e que a população do concelho de Viana do Alentejo lhe dem a moioria absuluto para que o concelho de Viana do Alentejo reconquiste o lugar que merece.
    Responder
    Anónimo18 Fevereiro, 2013 19:14

    Vamos apoiar o Penetra para atirar os vendilhões do templo para a rua. Já chega de compadrio e de empregos para os boys deixando o concelho numa lástima.
    Responder

    ResponderExcluir
  21. "João Penetra Presidente da camara de Alvito, apresenta-se no proximo 2 de Março na quinta do cerrado em viana do alentejo como candidato da cdu."
    Anónimo a 17 de Fevereiro de 2013 às 11:48

    "devia lá estar a população de Alvito para avisar os municipes de Viana da incompetência deste pinókio. E não leva o Ratinho ?"
    Anónimo a 17 de Fevereiro de 2013 às 12:44

    "Já se esperava! O Penetra e a CDU sabem bem o que (não) fizeram por Alvito. Devia era demitir-se antes de iniciar campanha em Viana."

    Anónimo a 17 de Fevereiro de 2013 às 12:47

    in ALVITRANDO

    ResponderExcluir
  22. There really isn't all that much to tell but once in a while something will happen to change that.

    Being a 59-year-old retired widower in a condominium full of widows, I am both well fed and well taken care of, sexually. (By the way, as you get older, there are a lot more single women than men and many of them are horny.)

    Take last Saturday afternoon for example. I had just settled down in front of the TV when the phone rang. It was Dora, my neighbor on the same floor, three units away. Her voice was warm, sexy and full of promise when she said, "Hi Ted, how you doing?"

    "Fine, just taking it easy, how about you?"

    "I'm good, any plans for this afternoon?"

    I had planned to watch the football game but since my team was out of the playoffs, it wasn't important, at least not nearly as important as what her voice promised. "Not at all, what's up?"

    "Well, what would you say to a nice home cooked meal?"

    "I would say bring it on!" I laughed a little but was dead serious, "What do I have to do for it?"

    Her voice was a lot more serious than mine. "I'm sure we will find something for you to do, something you are good at. Drop by about three. I have a big standing rib roast. You can bring a nice bottle of wine if you'd like. My sister is in town and I want you to meet her."

    I couldn't help but think that maybe Dora wanted to introduce her sister to the man who has been banging her regularly or even the other way around. Perhaps even show me off a little. I still had most of my hair and kept myself in pretty good shape. I am not handsome but not too ugly for my age. "I'll be there with bells on and with a nice bottle of wine".

    At 3:00 sharp I rang her bell. I was freshly bathed and shaved and had two very nice bottles of pinot noir under my arm.

    Dora was also a widow, a lot younger than me but it was hard to tell just how old she was. She was slim and attractive with beautiful, dark, gray-streaked hair, and for some reason I had the feeling she had money. We had been friends, comrades and lovers ever since she moved into the condo three years ago not long after my wife died and I turned my printing business over to my son. She had an almost insatiable sexual appetite but she liked her space. Two or three times a week we would have sex but she would always send me home afterwards. No staying overnight, but I didn't mind, the sex was very good and she usually rewarded me with a nice, hearty meal.

    ResponderExcluir
  23. The best part was that although she had no other gentlemen friends that I knew about, she had no reservations about me. She knew I saw other women and she didn't mind as long as I was primed and ready to go when she was horny. Our days were usually Monday and Thursday but once in a while on the weekend we would go out on my boat or I would take her to dinner. Either usually led to an enjoyable evening in her bedroom.

    Frankly I didn't need any other women but I had a reputation to think of, so I did my duty to God and country with a few of the other old biddies in the complex. Most of them knew I was busy on Monday's and Thursdays so I often booked Tuesdays and/or Wednesdays with one of my other lady friends. I repaid a good dinner by giving them a good piece of ass.

    Anyway, this was an unexpected pleasure for a Sunday afternoon. The door opened and there stood a little younger, a little heavier, blond version of Dora. She extended a well-manicured, cool, soft hand. "Hi, you must be Ted; I'm Gwen, Dora's sister. Please come in, Dora is in the kitchen and will be out in a moment."

    Although the facial features were very much alike, the similarities stopped there. While Dora was tall and slender, Gwen was short, maybe five foot three inches tall and a little heavy, but still a very attractive woman. She was dressed in some sort of a very loose fitting caftan and was barefoot. The lack of shoes only accentuated her short statute against my 6 foot 2 inch frame. Dora came out of the kitchen, looking very matronly. As usual she was impeccably dressed in a skirt and blouse with an apron to protect her clothing and her ever-present high-heeled shoes. The 4-inch heels only served to accentuate her height in comparison to her sister.

    She greeted me with an unusual smile. "I see you to have already met. Gwen just got in yesterday but is going to spend a week or so with me. I haven't seen her for six or seven years. In case you're wondering, Gwen is my half-sister and is a bit younger than me. She is my father's child by his second wife, my stepmother." Dora sent Gwen into the kitchen to pour the wine and confided in me that she was just coming off of a very bad relationship with the man she had been living with for the last five years.

    Gwen returned with the drinks and the three of us had an enjoyable few minutes chatting until Dora had to excuse herself to see about something in the kitchen. I was a little surprised when Gwen moved from the chair opposite to sit alongside of me on the sofa. As we talked, she became very animated and would put her hand on my arm or on my leg to make a point. As the conversation progressed, her hand spent less time on my arm and more on my leg, edging ever closer to my crotch. Dora came back into the room and Gwen snatched her hand away from my lap as if she had been scalded. I'm not sure if Dora noticed or not.

    Dora announced that dinner was ready and showed us the seating arrangement. I was at the head of the table with Gwen to my left. Dora was to my right with her back to the kitchen. The meal was just what I had come to expect in this apartment, delicious, with everything done to perfection. What I hadn't expected was Gwen's bare foot under the table, hidden by the tablecloth, playing with mine, running up my leg and finally wiggling her toes in my lap.

    ResponderExcluir
  24. Unfortunately, I am a man, a very common, very virile one and it wasn't long before I had a hard on. Gwen's toes finally ended up touching it and I saw her suppress a giggle. Dora left the table to serve desert and Gwen's hand replaced her foot in my crotch with a firm grip on my penis. She whispered, "I'm glad I got your attention. Dora said you were a wonderful lover. Would you like to make love to me?"

    Dora returned before I had a chance to answer and Gwen quickly removed her hand. "What are you two chatting about? Gwen is grinning like a Cheshire cat and you look like I caught you with your hand in the cookie jar."

    Gwen was quick to respond and said; "I was asking him about your love life, that is, do the two of you do it?"

    Dora reddened and mumbled, "I don't think that is any of your business."

    "That's not what you told me on the phone. You said he was a wonderful lover, had a big dick and could fuck for hours. That's the main reason I came here, I want him to fuck me."

    I thought Dora was going to have a heart attract. She gasped; her hand was at her throat when she sputtered, "Everything I told you was in strict confidence. I am very embarrassed."

    At first, I was embarrassed too but now I was beginning to enjoy it. I especially liked the part where Dora told her sister I was a good lover and had a big dick.

    Dora stormed out of the room and a moment later, I heard her bedroom door slam.

    We were still sitting at the table when Gwen looked at me, smiled and said, "Well, the cats out of the bag now and it's just you and me. I know you are ready". She put her hand back on my lap. "I can still feel that big cock."

    "Hey, I appreciate the complement but I wouldn't want to hurt Dora. Maybe some other time."

    "Nonsense. She told me you screw other women right here in the condo. Why not me too?"

    "Other women, yeah, but not her sister."

    She let out a big belly laugh. "Well, I guess Dora was right after all. She said you wouldn't fuck me unless she said it was OK. Wait here while I go and ask her."

    With that, she disappeared into Dora's bedroom. I could hear voices, sometimes soft and sometimes raised a little. I finished off my wine and was about to leave when the door opened and the two women came out. Gwen was smiling but Dora had a sour look on her face.

    ResponderExcluir
  25. Sra Professora, talvez fosse melhor fechar ou moderar os comentários. Espero que não esteja com ideias esquisitas...

    ResponderExcluir
  26. Ó Rosa, acaba com esta merda.

    ResponderExcluir
  27. No intervalo das tecelagens mandem um mail (o mesmo que serviu para criar o blog), ao provedor de hospedagem.
    Não tem de quê!

    ResponderExcluir
  28. Eu e minha Amiga !


    Vou relatar aqui sobre minha fantasia o eu posso dizer que era uma fantasia, pois a realizei a tornei realidade. Eu ao passar dos anos de casamento, não sei se pela rotina, ou sei lá.
    Mas percebi que eu tinha atração por mulher, não que eu olhasse para uma mulher e a achasse gostosa.
    Eu simplesmente tinha curiosidade ou vontade de chupar uma mulher.
    Essa era minha fantasia que mais me excitava e quando me masturbava era minha fantasia.
    Eu me imaginando chupando uma mulher e sendo chupada.
    E realizei essa fantasia e quero dividir com você essa louca fantasia.
    Ela era uma amiga e papo vai papo vem, conversando sobre assuntos íntimos, falei de minha fantasia sem preconceitos, me abri mesmo, pois eu já tinha bebido meu vinhosinho.
    Achei que ela fosse, estranhar, achar que eu era lésbica, mesmo assim tive que revelar contar a uma amiga meu desejo precisava tirar de dentro de mim aquilo desabafar com alguém e achar o que ela pensava sobre o assunto.
    Contei a ela e para minha surpresa ela disse que também tinha essa fantasia ou curiosidade, e nunca tinha revelado a ninguém também por motivo de vergonha ou preconceito.
    E que ela também minha muita vontade de chupar uma mulher que era o sonho dela.
    Então falei a gente pode realizar juntas o que acha?
    Ela prontamente disse claro, e marcamos um dia em minha casa.
    Eu estava ansiosa passei o dia arrumando a casa e preparando a casa, deixando tudo limpinho.
    Ela me disse que ao sair do serviço me ligaria e viria direto para casa, as 19:00 o telefone toca. Ela disse meu nome já estou chegando ai quando descer do ônibus te ligo e você bem me buscar vou descer em frente a Igreja.
    Ok marcado, estava chegando a hora, pensei em desistir por achar uma loucura, mas fui em frente, teria que realizar minha fantasia.
    Eu queria saber se era só fantasia, ou se eu era lésbica, pois isso me martirizava.
    Eu precisava realizar para ter a confirmação.
    Ela chegou me ligou e fui encontra-la e viemos conversando, passando em frente a locadora
    Entramos e escolhemos o filme: Homens não entram , bem sugestivo nome né, ficamos com vergonha de levar até o caixa, o que ele iria pensar duas mulher alugando filme pornô de lésbica risos.
    Mas enfim esquecemos nossos preconceitos, pensa o que quiser falamos, sem contar que o vendedor sempre me vê alugando filme pornô com marido, acho que nem desconfiou também tomará rs.
    Descemos para casa, mostrei a casa para ela, e como eu estava reformando a cozinha a chamei para comer um lanche.
    Descemos comemos e subimos conversando muito como duas amigas que somos, tudo normal uma amiga dormindo em casa nunca que ninguém desconfiaria que aquele diz realizaríamos nossa fantasia, e de muitas mulheres que com certeza não realizam por preconceito, ou porque nunca teve coragem de revelar a alguém.
    Mas enfim chegamos em casa assistimos o final da novela, ela foi tomar um banho, eu quando ela ligou dizendo que estava chegando tomei o meu.
    Enfim ela tomou seu banho, colou seu conjunto de algodão shortinho e camisetinha de bichinho, e eu uma camisola preta transparente.
    Ela pediu para colocar o filme pornô já eram mais 9:40 da noite, e nos duas lá sozinhas, duas mulheres com desejos iguais ou melhor posso dizer com a mesma fantasia.

    ResponderExcluir
  29. Bem estávamos assistindo, a cada cena eu ficava mais excitada vendo uma mulher chupar a outra, e com certeza ela também e só imaginando o que seria dali a alguns minutos.
    Que nossa fantasia seria realizada a minha e a dela, continuando o momento chegou, depois de assistirmos uns 20 minutos de filme ela se ajoelhou na cama e eu falei aiii to com vergonha.
    Ela que nada agora já é tarde risos, já foi tocando nos meus seios, nossos olhos brilhavam de desejo e tesão por aquele esperado momento, ela me olhava nos olhos com cara de vadia e eu também a encarava e ela veio chegando perto de mim nos duas ajoelhadas naquela cama de frente uma para outra e demos nosso primeiro beijo, foi uma sensação indescritível beijar uma boca de mulher eu chupando a língua dela e ela a minha eu estava ficando muito excitada e ela também.
    Então ela abaixou a alça da minha camisola com carinho deixando meus peitinhos durinhos e intumescidos de tanto tesão e colocou sua boca neles, nessa hora fui a loucura nunca tinha sentido uma boca de mulher e ali estava ela chupando meus peitos estava com uma boca macia diferente da boca do homem que abocanha de qualquer jeito.
    Mulher é muito mais carinhosa, mas sensível e aqueles lábios macios de mulher sugando meus peitinhos que delicia eu já estava ficando molhadinha de tesão...ela chupava ora um hora o outro.
    E então foi minha vez ela tinha os seios bem maiores que os meus tipo aqueles peitões, mas não exagerado mas tinha seios grandes, mas foi uma delicia chupa-los, e retribui com minha boca quente e macia que só consegui chupar os biquinhos dos peitos dela e olhava para a cara dela enquanto mamava nos seios dela do mesmo jeito que ela fez comigo, estava sendo demais realizar a minha fantasia.
    Então depois de chuparmos os peitos uma da outra, chegava a mais inesperada hora de sentir uma boca feminina me chupando, tirei a camisola ficando pelada e ela também, ela estava com a xaninha toda lisinha e eu com pouquíssimos pelos apenas em cima. Ela pediu para que eu me deitada beijou novamente minha boca, passando pelos meus seios dando lambidas e desceu até a barriga. Abriu minha pernas e disse:
    Ai que delicia, meu sonho!
    Nessa hora me deu mais tesão ainda e ficando surpresa com suas palavras em chupar um sexo feminino.

    ResponderExcluir
  30. E deliciosamente encostou sua boca delicadamente na minha xaninha que nesta hora já estava molhada de tanto que era o tesão.
    Sentia a língua dela lambendo minha xaninha eu olhava cada lambida que ela me dava e ela também adorava chupar olhando para minha cara, as duas com cara de safadas realizando nosso maior desejo.
    Depois trocamos de posição, era minha vez de tocar pela primeira vez uma boceta, também abri suas pernas e comecei a lamber a boceta dela.
    Era tanta a ansiedade que não sabíamos o que queríamos trocamos de posição novamente fazendo um 69 e nos chupamos mas como a posição era meia incomoda para nós duas resolvemos partir para os finalmente.
    Ela disse vem vou te chupar e te fazer gozar primeiro.
    Ouvindo isso me deixou louca, prontamente a obedeci deitei e abri minhas pernas deixando a mostra minha xaninha, ela veio com a cara no meio de minhas pernas e abocanhou minha boceta lambia chupava, olhando pra minha cara e eu gemendo eu segurava nos cabelos dela para que nenhum fio de cabelo atrapalhasse aquela linda e excitante visão de uma mulher no meio de minhas perna me chupando.
    Sentia aquela língua gente macia chupando meu grelinho eu a xingava, isso putinha chupa não era seu sonho em!
    Ela dizia era, então goza na minha boca goza.
    Eu dizia isso chupa, vadia, segurando seus cabelos com as mãos isso estava sendo uma loucura para mim.
    Ela me chupava muito gostoso e o tesão estava sendo tão grande que meus gemidos iam aumentando, percebendo que ela estava chupando de um jeito gostoso falei isso chupa assim que vou gozar na sua boca vadia.
    Ela continuou naquele ritimo não mudando o jeito que chupava isso contribuiu para que meu orgasmos viesse rápido.
    Com ela chupando minha xaninha, com aquela boca macia não agüentei , falei vou gozarrrrrrrrrr, nossa foi uma sensação indescritível aquele prazer que sentir naquele momento, e gozei gemendo muito naquela boca gostosa me chupando.
    Ela ainda terminou com uma ultima lambida nela.
    E se deitou e disse vem agora é minha vez.
    E novamente abriu suas perna e eu comecei a chupar a boceta dela, lamber seu grelinho, ela não gemia muito como eu mas ia dizendo coisas, como isso, assim, chupa vai, chupa gostosa, e fui lambendo chupando aquela xaninha lisinha, enquanto ela ajudava com as mão a abrir a boceta, mas nada de dedo, cacete, era apenas naquele ponto que algumas mulheres sentem mais prazer no clitóris e nosso prazer se concentrava apenas ali.
    E também acertei o jeito certo de chupar e ela disse assim, chupa assim que vou gozar, e eu chupei o grelinho dela e ela estava gozando na minha boca e assim abafou seus gemidos dizendo. Nossa nunca tinha gozado tão gostoso assim.
    E assim nos vestimos para dormir e conversamos como se nada tivesse acontecido.
    Nem eu nem ela marcamos uma próxima vez, e no outro dia ela se levantou cedo para ir para o trabalho a acompanhei até o ponto que fica quase em frente de casa.
    E assim realizei minha fantasia que acho que foi mais curiosidade e fique feliz por saber que esse desejo , eu não seria lésbica, ou bi era apenas um desejo misturado com curiosidade.
    Pois há algum tempo ela me procura mais não quero mais repetir.

    ResponderExcluir